Total Pageviews

IDENTIDADE DA MINHA ESCRITA ....



Cartas antigas, papéis amarelados pelo tempo, envelopes empoeirados, sêlos desbotados ... tudo isto sempre foi um chamariz prá mim. Antigas anotações em livros também. Fico analizando a grafia para tentar imaginar quem foi aquela pessoa que escreveu aquilo, como pensava, quem era. Tenho vontade de voltar ao passado e conhecê-la. É uma coisa muito forte esta atração especificamente dizendo ... Não sei explicar, simplesmente sinto. Tudo o que escrevo gostaria de deixar para a posteridade, para que alguém em algum dia muito, muito distante no futuro, encontre minhas cartas, diários, poemas e sinta-se atraído também, comece a imaginar quem foi aquela pessoa que escreveu tudo isto, e através do interesse me leve a conhecer os pensamentos e sentimentos dela também, criando uma cumplicidade de similar paixões por papéis e lápis.

Basicamente, gosto de escrever criando uma atmosfera de suspense, drama, outras vezes comédia ... sempre explorando o lado do estado da mente de quem crio como personagem ou expôr os meus próprios sentimentos e pensamentos naquilo que vivo. Falo muito de emoções porque este é o meu universo. Emoções e pessoas são o centro da minha vida, a minha identidade. Como Clarice, gosto de escrever sobre pessoas comuns, colocá-las como estrelas do meu papel, que é o palco delas. Muitas vezes, dou risada das minhas próprias criações ... gosto de tentar criar o inesperado, o absurdo, coisas que às vezes só fazem sentido na minha cabeça. Dependendo do humor do dia a "receita" sairá com um gosto diferente ...

(Simone)
 

1 comment:

Soraia Barbi said...

Mostre para nos alguns de seus contos. Um dramatico outro engracado, acho que sera muito legal. Como voce sabe eu li aquele seu conto sobre a Virgula, que adorei! Compartilhe conosco as suas criacoes, please :)