Total Pageviews

"O MENINO E O MAR"

 
Quando o menino fez um ano foi visitar o mar. Era o primeiro dia de primavera, mas ainda não havia sinais da estação do sol, flores, do despertar da natureza. Ao contrário, o frio era intenso. O menino chegou tímido, sob roupas pesadas. Não sabia o que esperar. Estava ainda distraído, prestando atenção numa poça d'água que vazia movimentos em desalinho. O vento soprava teimoso e logo a ponta do nariz do menino ficou vermelha. Na areia havia muitas pegadas. Outros visitantes corajosos e persistentes, querendo ver o mar também. O menino agora olhava para o chão cheio de conchinhas quebradas. A areia era fofa e cor de creme. A certa altura do caminho, o menino levantou a cabeça e descobriu que depois da areia estava o mar. Naquele exato momento, ele se esqueceu da areia, das conchinhas, pois o mar surgiu imponente, querendo ser visto, exibindo-se por todos os lados. O menino ficou intrigado com as ondas, tentando captar com os olhos toda a extensão dos movimentos. O mar estava agitado por conta da força dos ventos soprando sem parar. Então fez-se o encontro do menino com o mar. O menino olhava para o mar com expressão de interrogação e contemplação. O vento doido no rosto não conseguiu encobrir o encantamento do menino que apontava o dedinho em direção àquela imensidão azul, como que querendo tocar as ondas para ter certeza de que eram reais. O mar parecia tentado envolver o menino com o seu ir e vir. Estava com vontade de ser visitado, pois no outono e inverno ele ficava muito solitário. Mas o menino foi um visitante especial, pois teve como presente visitar o mar. O mar certamente sentiu-se mais orgulhoso de si. O menino ficou olhando fixo para o mar. O coração estava disparado, inquieto, num torvelinho de emoções novas. Foi um encontro que durou poucos minutos, mas que feito de um intenso partilhar. Agora o menino já conhecia o mar, uma parte do mar. Agora sabia que seria preciso voltar, fazer novas visitas para conversar mais, tocar a água, interagir com as ondas e mergulhar nos sons. O mar deixou claro que estará à espera do menino com ansiedade. Antes de ir, o menino acenou de novo. E assim,  no encontro do menino com o mar, foi comemorado mais um trecho da vida, marcado pelo som das ondas e pela brisa do vento. No primeiro ano de vida o menino conheceu o mar. Eles se encontraram para festejar. Ficaram amigos. Prá sempre!

(Simone)

No comments: