Total Pageviews

"SÁTIRA HOSPITALAR"


O paciente angustiado
Deu um grito alto feito um brado
Havia caído do topo de um sobrado
E acabou na cama hospitalar todo estrupiado
Além de desdentado

A enfermeira veio com cara de poucos amigos
O paciente pensou:
"- Não quero ter uma megera destas nem como inimigo!"

Ela perguntou impaciente:
"-O que que você quer?"
Ele respondeu:
"-Honestamente?
Uma dose de conhaque
E uma dúzia de mulher!"

A enfermeira horrorizada com tanta petulância, perguntou:
"- Vou é te colocar numa ambulância
E mandá-lo a um hospital de última instância!
Você é um estrupício
E já estou no fim do meu plantão
O que menos quero é gente de hospício
Me estragando o ofício!!"

O paciente se calou e pensou
Quando a enfermeira engrossou:
"Tô todo quebrado!
Não preciso de mais uma fratura
Muito menos dessa mulher tanajura
Sai de reto, desconjura!!"

Sem conhaque e sem mulher
O paciente pegou a colher
Para comer gelatina
A única coisa servida naquela masmorra
"-Meu Deus por favor, me socorra!"

O médico chegou
E receitou supositório
O paciente fez cara de simplório
A enfermeira mais do que contrariada veio para executar a tarefa
 O paciente chamou o médico de volta e suplicou:
"-Seu doutor, dá para suspender o supositório?"
O médico disse:
"-Não seja mole, seu Osório!"
O paciente retrucou:
"-Tenha misericórdia de mim doutor
Isto ainda vai acabar em velório!!!"

A enfermeira descontente
Com olhar de serpente
Falou para o paciente:
"-Vamos acabar logo com isto!
Sai deste enguiço
Senão te dou um sopapo
Seu cara de chouriço!
Não me irrite porque já detesto este serviço!"

O paciente sem saída disse:
"-Então vai em frente
Mas toma cuidado
Que ainda sou gente
Mereço consideração
Deixa eu fazer uma oração
Não quero sofrer indignação
Além desta constipação!!"

A enfermeira retrucou:
"-Fique tranquilo! Isto dói menos do que injeção."
E o paciente:
"-Prá você é fácil falar
Não estás no meu lugar
Este supositório é de amargar!"

A enfermeira diz:
"-Vai relaxando que o supositório vai encaixando
Depois te deixo livre."
O pobre paciente com voz aflita retruca:
"-Ainda bem!
Outra como você Deus que não me castigue!
Quero o quanto antes minha alta
Não aguento mais esta maloca de terríveis odores
Onde a enfermeira-chefe se chama Dolores
E a dor que eu sinto agora
É dos horrores!!!"

(Simone)

No comments: