Total Pageviews

"UM SONHO DE PAI"


Um pai carinhoso com os filhos
Diante dos meus olhos
Desperta absoluta admiração

Nos primeiros tempos de minha vida
Meu pai era como um super-herói
O mais forte, corajoso, protetor
Eu queria muito ser o centro da vida dele como filha
Queria amá-lo muito
E ser muito amada por ele...

Mas ao longo do tempo
Aquela imagem que eu tinha dele
Que eu queria tanto fosse a verdadeira
Caiu por terra
Quando me dei conta de que
Ele não tinha nenhum respeito
Por quem era a pessoa mais importante da minha vida
Minha mãe
Nem por mim ou minhas irmãs...

Durante a minha infância
Eu achava que um abraço
Tinha o poder de curar tudo
Remover as coisas ruins
E fazer as pessoas serem boas
Amorosas como eu era com elas

Lembro-me que estava sempre
No fundo
Tentando agradar meu pai
Me sentir aceita por ele
Mas papai tinha outras prioridades
Que não nós
Que o faziam sentir-se forte e realizado...

Nós tivemos um tio que era o extremo oposto de papai
Era um marido atencioso, respeitoso
Um pai amoroso e presente para as filhas
Era o protótipo do pai que nós queríamos ter
Era um contraste tão grande...
Como era bom estar com ele
Sentir o abraço dele
Sentir o amor
De um pai que eu sonhava pra mim...

Eu queria um pai que sorrise
Que brincasse
Que abraçasse
Que contasse estórias
Que desse um beijo de boa noite antes de dormir
Que amasse minha mãe do jeito que ela merecia
Que gostasse de amar e ser amado
Que fosse feliz com a família que tinha
Que a família fosse a prioridade dele...

O pai na vida de uma menina
Tem uma importância enorme
As meninas gostam de se sentir abraçadas
Aceitas, respeitadas, admiradas
Pela pessoa que elas consideram o herói delas
E quando eu falo herói
Não é no sentido mágico do termo
É apenas ser protetor, presente, afetuoso
Digno de amor e admiração...
Sempre pensei:
Estes desejos não são simples?
Por que são tão difíceis de conseguir tê-los realizados?

Tem gente que diz que ninguém pode dar o que nunca teve
Se meu pai teve o amor dos pais
Eu não sei
Ele não gostava do pai dele
Mas há tantos homens que tiveram uma infância sem amor
E cresceram sonhando em dar o amor que não tiveram
À própria família um dia
Meu tio foi assim
Então tive um modelo vivo de que isto é sim possível!

A verdade é que eu acho que meu pai
Vivia num mundo emocional muito complexo e distorcido
Talvez por isto não soubesse amar de um jeito que não fosse torto
Ou receber amor de um jeito que não fosse desconfortável
Esta é a conclusão a que chego
Mas a verdade dele, de quem ele realmente foi
No fundo eu não sei
Ele era tão introspectivo
Tão atormentado e trancafiado no mundo dele
Impenetrável, ele era!

Meu pai foi um estranho prá mim
A vida inteira
Um estranho que eu tinha que chamar de pai
Sei que dentro das limitações emocionais dele
Fez o melhor que pode
Foi o melhor que pode
Tinha qualidades inquestionáveis
Mas do ponto de vista
Do ser marido e pai
Foram tantas as faltas
As marcas negativas que deixou
Na nossa vida emocional
Que é impossivel dizer que
O que ele não deu de amor
Mas muito mais de dor
Deixou profundos danos
Dentro de nós como meninas
E mais tarde como mulheres

Assim hoje,
 Tantos e tantos anos depois
Neste específico ponto
Aquela menina que eu fui e ainda vive dentro de mim
Continua achando lindo ver um pai
Amar um filho
Como meu marido ama nosso filho
E outros pais que vejo por onde vou
Nas ruas, num parque, na televisão...
Quando vejo um pai abraçando efusivamente um filho
Quero ser aquela criança ou adolescente, naquele momento
Para sentir aquele tipo de amor de pai
Que nunca tive e sempre busquei tanto
O amor físico, concreto, palpável
Caloroso, continente, carinhoso...

Para aquela menininha que eu fui
Ter um sonho de pai
Ainda é um sonho
E eu acho que vai continuar sendo
Até quando eu não puder sonhar mais...

(Simone)

No comments: