Total Pageviews

"PERIPÉCIAS DE MARIQUINHA..."


Mariquinha
A menina de Maria Chiquinha
 É mais conhecida como garota travessa
Adora na hora da janta fazer bagunça na mesa
Não para sentada um minuto
Não tem a menor idéia do que significa silêncio absoluto!

Mariquinha é uma menina
De sapatos de fivela
Que ela vive perdendo um par
Cada vez que alguém corre atrás dela
Rasga os vestidos de cetim
Quando pula a cerca
Como se fazer outro fosse apenas um truque para a Madame Mim
E a mãe costureira diz:
"Menina olha só este farrapo que ficou o vestido! Você não tem dó de mim??"

Mariquinha as vezes vai para a escola de trança
E procura manter a fala mansa
Mas se alguém por algum motivo pisa no calo dela
Mariquinha é difícil de desgrudar de uma briga
Manda prá todos uma figa
Mesmo se for parar na diretoria
Acha que a briga ainda foi uma benfeitoria

Quando Mariquinha volta para a casa da escola
Gosta de brincar com suas bonecas de mola
Mas a preferida dela é uma de porcelana
Com os cabelos amarelos feito casca de banana
A coleção de bonecas dela é propriedade privada
Se alguém mexer nelas
Mariquinha fica com a pá virada
E sai distribuindo sopapos na meninada

Apesar de ser deveras briguenta
Mariquinha tem muito senso de humor
As vezes um tanto esquisito
Que causa até terror
Em certos momentos fala coisas do arco da velha
Sobre a professora preferida dela, a dona Maria Amélia

Mariquinha também gosta de colecionar sêlos
E acariciar os cachorrinhos bebés de sedosos e brilhantes pêlos
Cada vez que nasce uma ninhada
É mais uma geração para ser por ela mimada

Gosta de ajudar a mãe na cozinha
Sabe fazer arroz e feijão
Embora os fundos das panelas sempre virem puro carvão
A polenta dela é crua e pedregosa
Praticamente argamassa
Que se embolorar nem mesmo pode ser cativeiro de traça
Mas Mariquinha tem orgulho da polenta que faz
Mesmo que todo mundo deteste
Ela nunca deixa o concreto armado que fez para trás

Mariquinha é uma menina sonhadora
Gostaria de conhecer as pirâmides
Para conversar com os faraós
Que ela soube existiram nas estórinhas contadas pelos avós
Acha que pode achar um monte de doces num sarcófago
Se souber passar uma boa conversa na múmia empoeirada
Esta menina tem uma curiosidade impagável
Quando gosta de uma coisa
Faz tanta pergunta que se torna irrefreável
Mas no fundo, nos dias "normais" é deveras amável

Mariquinha é a queridinha da casa
O sonho dela é ter asa
Para voar pelos cantos do mundo sem destino definido
Se puder se perde no infinito
A cabeça dela é cheia de sonhos maravilhosos
Um mundo onde alguns são fascinantes e outros horripilantes
Ela ama as pessoas
Gostaria que todas fossem essencialmente boas!

Mariquinha tem um coração do tamanho do céu
Doce como mel
Ela pode ser teimosa e travessa
Mas o bem de todo mundo ela quer
Com certeza!!

(Simone)

"PERIPÉCIAS DE JUQUINHA..."


Juquinha
Menino travesso
Deixa a vida de todos do lado do avesso

Acorda de manhã
Num mal humor terrível
Quando a mãe vem e diz:
"Juquinha, está na hora de acordar!!!"
Ele sempre reclama e dá um jeito de a ação contornar
Mas quando chega no ponto inevitável
E a pressão que a visão do chinelo de dedo pronto para uma sova causa
Não tem jeito de dar uma desculpa falsa
O negócio é dançar do jeito que a mãe coduz a valsa
 
Na hora de se vestir
Ainda está com os olhos fechados
Coloca as meias furadas e fedorentas
E uns tênis com aparências horrendas
A calça é estilo pula-brejo
Os bolsos virados para fora
Camisa faltando os botões
Por fim coloca o gorro para esconder os orelhões

Antes de sair
Pede um beijo da mãe e um trocadinho para comprar uma bala
Apesar de já ter milhóes de chicletes dentro da mala
Uma balinha a mais é sempre bem-vinda
Quão saborosa é mastigá-la
Mas quando chega a dor de dente
De mastigar tantas ele se arrepende
Tem medo da broca do dentista
E diz pra mãe:
"Mãe, ao invés, me leva no oculista?"

No caminho para a escola
Vai chutando as pedrinhas que aparecem
Até ficar com um rombo no tênis e ter que fechá-lo com durex
Passa na quitanda e compra uma bala Mentex
Vai andando tão devagar
Que perde a noção do tempo
 Menino cabeça de vento!!

Os coleguinhas da escola
Adoram Juquinha
Porque gostam de vê-lo arquitetando travessuras
Cada dia é uma
O seu repertório é táo grande, que não repete nenhuma
Hoje está pensando em colocar uma taxinha na cadeira da professora
A de Matemática, é claro, qual mais poderia ser?
Não há nenhuma mais opressora
Quando a criança erra na conta, bate nelas com vassoura
Manda ajoelhar no milho
Sentar no formigueiro
Ficar virado para a lousa assoprando até apagar a vela desenhada
Castigo bem aplicado não falta para a garotada

A professora chega, senta e dá um grito
Juquinha e os coleguinhas no fundo da classe disfarçam
Rindo de cabeça baixa e olhando para o umbigo
A professora não pode dizer o motivo do grito
Mas vai direto na direção de Juquinha
E diz:
"Menino pestinha, vou te torcer a orelha
 Até entortar sua sobrancelha!
Da próxima vez te mando para a diretoria
E lá sozinho é que vai ter que aguentar do diretor a gritaria!"

Juquinha mal presta ateçãao à aula
Fica é fazendo projetos de carros no caderno
Acha que ficar dentro da classe é absoluto inferno
Embora tenha consciência que poderia ser pior
Imagine estudar em colégio interno!

Quando o sinal toca é hora do recreio
Este é o momento triunfal
De Juquinha perder todo e qualquer receio
Vai na cozinha da escola e pede para a merendeira:
"Dona Josefa, garrega na quantidade
Que meu estômago é que nem de rato
Quer comida o tempo todo
Nunca deixa nada esquecido no prato."

Com as meninas Juquinha é pura provocação
Encher a paciência delas é a sua maior vocação
Quando ele chega perto
Elas saem correndo
De medo dele estão sempre morrendo

Quando o momento de ir para casa é anunciado
Juquinha é todo sorriso
Tão largo que dá para ver até o siso
Fica feliz quando a mãe vai buscá-lo
Para ter o abraço dela
E comer seu delicioso pão com mortadela

Em casa, vive imerso no mundo dos carrinhos
E inferniza a vida dos pobres recém-nascidos gatinhos
Joga bola de gude
Mas ele é mesmo da mãe o maior grude
Com ela jamais se mostra rude
Abraça, pula no colo, beija
Diz que a mãe tem a bochecha com perfume de cereja
Tudo o que faz diz pra ela:
"Mãe, venha aqui, veja!"
Especialmente quando a língua esta cheia de brotoeja

Juquinha é uma graça de menino
Apesar das traquinagens
Mas menino que não é um pouquinho travesso
Não é um menino da gema
Fazer uma bagunçinha básica de vez em quando
É o lema!

Juquinha menino serelepe
Sua esperteza é genial
És tão fofo
Que deveria ser contratado da Globo
Para fazer comercial!

(Simone)

"MINHAS TRÊS IRMÃS"


Minhas três irmãs
São muito queridas no meu coração
Merecem toda a minha admiração

São bonitas
Inteligentes
Simpáticas
Talentosas
Melindrosas

Uma gosta de comprar
A outra não consegue parar de falar
A ultima gosta da pele cuidar

A que gosta de comprar
Está sempre estourada no Credit Card
Só gosta de coisa boa
Não faz nenhuma escolha à toa
Fala o que pensa
E às vezes gosta de dar uma prensa
O negócio dela é o mundo da moda
Tem um afinado bom gosto
E muita personalidade
Seu caráter é pura integridade
Muito valente
Aguenta firme até dor the dente
Dedicada ao mundo das pessoas
Torce para que elas sejam sempre boas...

A que não consegue parar de falar
Acha que ouvido dos outros é megafone
Vive dependurada no telefone
Esta não leva desaforo para casa
Quando acha que está com a razão
Roda a baiana sem temer a oposição
Tentar argumentar com ela
É pior castigo que a Inquisição
Muitíssimo engracada
O negócio dela é andar com quem ela gosta abraçada
Não importa se criança ou terceira idade
Tem um jeito de conquistar muito especial
O sucesso dela é fenomenal!

A irmã que gosta de se cuidar
Vive rodeada de cremes perfumados
Para manter a pele como seda
É talentosa na cozinha
E sempre prestativa à vizinha
Já foi atleta completa
Competente e eficaz
Não deixa nada sem ser feito para trás
No trabalho é funcionária exemplar
Qualquer coisa que se pergunte para ela
Sabe exemplificar
Adora sentar de frente para o mar
E tem sonhos de eterno amar...

Cada uma das três irmãs
Tem um jeito de ser único
São vencedoras e admiráveis
Delas tenho as melhores memórias
Nós quarto vivemos juntas um bocado de histórias...

Gosto muito delas
Na minha vida são mais preciosas do que pérolas
Quero o melhor da vida para elas
Todas as três
Em recheio e cobertura são belas

Meninas
A gente já chorou e riu
Tivemos discussões
E até vontade de uma na outra dar uns safanões
Mas logo a gente entra nos trilhos do entendimento
Afinal, nos aguentamos desde o nascimento
Orgulhosa e feliz eu sou
Por viver com vocês o melhor de cada momento
À vocês o meu mais profundo sentimento
O meu amor e admiração por vocês
São mais sólidos do que monumento!

(Simone)

"VITOR, HERÓI DE UM CONTO REAL..."


O Victor é mesmo um herói num país no qual a impunidade é regra não exceção. O gesto dele foi de uma compaixão sem fim. Infelizmente, pagou um preco alto por isto, o que é a grande injustiça. Sem dúvida, o gesto dele deveria ser exaltado, ensinado, espargido como modelo de integridade e bondade pelos quatro cantos do Brasil. É deste tipo de cultura que o povo precisa: a cultura da integridade de caráter, o amor pelo próximo, o se importar sem olhar a quem, manter os valores do que é certo.
Espero que a Justiça brasileira aproveite este caso para provar que é decente, presente, justa, íntegra, tal qual o gesto extraordinário de Vitor. Espero que os responsáveis por este ato tão desumano aprendam à duras penas de que não existe impunidade para delinquência e crueldade. Estes jovens agressores, ignorantes, arrogantes e desprezíveis merecem uma punição exemplar. É fundamental que isto aconteça, já que se mais esta estória brutal terminar em "pizza", neste insulto de responder processo em liberdade que é o mesmo que não pagar por coisa alguma, haverá uma abertura de precedente para que casos semelhantes, senáo piores, continuem sendo casos corriqueiros na nossa realidade. Não podemos permitir em nós mesmos ou no outro a atitude de banalização da vida.
O povo de bem, que tem os mesmos valores que Vitor, tem que sair às ruas, se mobilizar por esta causa tão fundamental de resgatar os valores humanos e dar voz para as consequências tão graves que a impunidade causa. O Brasil está sendo dominado pelo criminoso. O inocente é o que fica encarcerado ou tem que se armar de todas as formas para manter-se vivo e a integridade da família intacta. Violência não é aceitável e jamais justificável. A gente não pode se deixar dominar pela mentalidade de que violência, injustiça, corrupção e impunidade para o bandido grande e pequeno sejam fatos sobre os quais a gente deve se conformar porque são intangíveis! Não é verdade!! Estas ervas daninhas podem ser exterminadas com determinação, união, e neste ponto em que estas coisas tomaram uma dimensao tão grande no nosso país, com o mesmo heroismo do Vitor.
Precisamos multiplicar a força do gesto do Vitor. Ele não aceitou injustiça. Ele disse não para a brutalidade. Eles lutou pelo que considerou certo. Nós temos que fazer o mesmo. Não vamos deixar que o gesto de Vitor se torne em vão. Se estes delinquentes que o agrediram e ao morador de rua sairem ilesos da Justiça, isto será um precedente para que novos casos semelhantes se tornem mais e mais frequentes. Se nos calarmos estaremos sendo cúmplices com a impunidade desenfreada. Como diz o ditado popular: "Quem cala consente!" Mas quem age causa transformação. Transformação liberta. Viver com liberdade de direitos é o que todos merecemos.  Lutar pela justiça é um ato de cidadania. É assim que a gente avança não só como cidadãos, mas como seres humanos também.
Parabéns Vitor pelo seu gesto. Você salvou uma vida já tão humilhada e injustiçada, quase pagando com a sua própria. Que maravilhoso saber que está se recuperando das suas lesões. Espero que possa testemunhar todos os dias a grande importância que o seu gesto de compaixão e dignidade teve. Voce é mesmo nosso herói! Herói de verdade!!

(Simone)

"NOVELA FINA ESTAMPA - ESCOLA DE IMPUNIDADE"



Como boa brasileira da gema, sempre gostei de assistir novelas. Elas relaxam, exibem situações engraçadas, romances inspiradores, estórias de época muito interessantes, etc. Entretanto, uma novela em particular dos dias de hoje chamada "Fina Estampa" tem chamado minha atenção mais do que qualquer outra, não no bom sentido, mas no pior deles! Explico.
Para a grande maioria do povo brasileiro, novela dita moda e conceitos. Muita gente considera o que assistem em novelas, lições a serem aprendidas e perseguidas. Quem tem o pensamento fundamentado só no concreto, interpreta as coisas em sentido literal, pode ser facilmente impressionável e, mas do que tudo, influenciável!
A novela "Fina Estampa" mostra o que existe de pior no ser humano. É uma novela que alcança o total absurdo da impunidade, mediocridade, desrespeito, malandragem, crueldade, indiferença, grosseria, enfim, o que pode haver de mais patológico na personalidade humana. A personagem pérfida-mor, Theresa Cristina, é uma fonte inesgotável de desumanidade e manipulação. Ofende classes e classes de profissionais: empregadas domésticas, jornalistas, policiais, funcionários de cemitério, ... Menospreza quem é pobre colocando-o na categoria de escravo, usa o dinheiro que tem para se favorecer arquitetando crimes que sempre, sempre terminam impunes, como se tentativas de homicídio fossem consideradas banais, que a vida do outro "menos do que ela" não vale coisa alguma. É uma pessoa egoísta, prepotente, incansavelmente vingativa, traidora, mentirosa, arrogante, diabólica. A relação com os outros é sempre puramente de "uso e descarte". O pior é que todos ao redor dela se curvam, se submetem, se deixam humilhar, pisar, espezinhar, pelo fato de que ela, sendo muito rica, deveria mesmo ser mantida num pedestal e os outros "pobres mortais" que se conformem em ficar no lugar mais rélis possível, sob a sola do sapato dela.
O péssimo modelo que esta novela passa, transforma a impunidade um estandarte, um troféu a ser carregado como condecoração, com orgulho e objeto de manipulação à qualquer preço. A personagem mais vil sempre leva a melhor e faz parecer que os crimes que comete são ações corriqueiras, sem consequência, sem motivo para repreensão. Mostra que a Justiça brasileira não serve prá nada, ou melhor (pior), serve só para proteger o rico, ser ridicularizada, apresentada como ineficiente e facilmente "comprável". Inclusive, todos os crimes da novela terminam com o réu repondendo ao processo em liberdade, que quer dizer, certificado de inocência, ficha limpa. Cumprir pena? Imagine!
Enfim, há muitos outros personagens vís, manipuladores, chantagistas, além de Theresa Cristina. É um desfile dos piores tipos que uma sociedade doente pode ter!
Agora um personagem que está fazendo muito sucesso em meio ao público é o chamado Baltazar. Este personagem é como um vulcão prestes a entrar em erupção permanentemente. Pratica violência doméstica, é péssimo pai, marido, inveja à todos, detesta à todos, está sempre com um ódio contido. É verdade que numa das agressões a mulher o denunciou e ele teve que permanecer alguns dias atrás das grades, mas a natureza dele não mudou. Apesar de a mulher não permitir mais agressão física, a verbal continua. Ela ainda se permite ser subserviente a ele. Apesar dos pesares, para ela, ele ainda é "perdoável", não importa o péssimo tipo que seja. O público simpatiza com ele e ainda elogia, acha que ele está certo de fazer o que faz!! Como pode??
Resumindo, o que me deixa completamente indignada é o fato de que esta novela tem sido um dos piores veículos do lado sombrio, cruel e psicótico da natureza humana! Sempre lembro o que uma ex-professora de Genética Humana me disse. Ela faz parte do Projeto Genoma e luta para legalizar as pesquisas com células-tronco embrionárias. Uma das novelas da Rede Globo no passado, discutiu o tema da clonagem humana e a produção soliciou acessoramento da professora Mayana Zatz. Mas no final, ela ficou ultrajada ao perceber que tudo o que ela disse foi destorcido e a imagem das pesquisas com células-tronco ficou com o rótulo de bárbara e desumana. A imagem que foi passada ao público era a de que os pesquisadores criavam um bebê e depois o sacrificavam para se utilizassem os seus órgãos para transplante. Isto veiculado ao público foi um desastre para as pesquisas de células-tronco. Estas células são retiradas na primeira fase gestacional, ainda quando o bebê é apenas um embrião!!!! Enfim, Dra Mayana Zatz sentiu-se ultrajada e disse:
"- Novelas deveriam servir para EDUCAR o povo, não deseducar! Vocês (da emissora de televisão) perderam uma oportunidade única de passar a mensagem certa para o povo e fizeram tudo errado!"
Concordo em gênero, número e grau! Quão poderoso este veículo é, atinge um número imenso de pessoas, faz parte da vida de muita gente, vive dentro da casa delas. Num país que ainda tem um nível de escolaridade baixo considerando-se a população em geral, veicular mensagens destorcidas, enganadoras, preconceituosas é um crime, é voltar à estaca zero no que já se andou!!
Não é à toa que no Brasil dos tempos de hoje, muita gente praticamente se acostumou que violência urbana e doméstica fazem parte NATURAL da vida, que corrupção e impunidade são inevitáveis mesmo, que os Malufs da vida roubam mas fazem, que dinheiro compra tudo, especialmente inocência não importa o crime cometido, que pessoas ricas jamais deveriam ir para a prisão já que elas sofreriam demais por não estarem acostumadas a uma vida áspera assim, que seria um desacato prender rico, que é normal a polícia ser tão bandida quando os próprios que deveria encarcerar, que é natural que a Justiça brasileira não seja cega, que tudo de pior é mesmo desculpável e todos tem que viver com isto!!!
Este ainda é o retrato do meu Brasil varonil! ... Não me conformo!!! Precisei fazer esta crítica desta vez, porque não acho mesmo natural que viver em sociedade seja assim, esta degradação e barbaridade toda!!

(Simone)