Total Pageviews

DESABAFO...

  
Estou numa fase em que
Queria ter uma platéia só prá mim 

Que se interessasse em saber o que penso
O que escrevo
O que gosto de desenhar
O que sonho
O que sinto
 
Ultimamente as pessoas tem estado tão somente centradas no mundo delas
Que não dão a mínima para o que vem das outras pessoas
Como se nada do que viesse do outro
Pudesse ter valor, fosse interessante...
 
É tão frustrante querer partilhar o que se é e o que se faz
E não ter nem um comentário sequer de volta
 
Pedir não adianta
Porque é o tipo de coisa que tem que vir de dentro do outro
Tem que ser espontâneo
 
Sou uma pessoa que tem o maior interesse em saber
Sobre as outras pessoas
Sobre o que gostam, fazem, pensam, sentem, sonham
Aprender sobre o mundo delas
Pelo jeito sou uma das poucas espécimens ainda vivas
Acho que estou em franco estado de extinção!
 
Indiferença está virando pandêmica neste mundo!
 
Estamos vivendo numa realidade
Na qual a solidão do ser, sentir, pensar
Tornou-se absolutamente crônica.
 
-Simone-

BONS E VELHOS TEMPOS...


Bons e velhos tempos quando...
 
A gente era livre para brincar na rua
Se contentava em ganhar presente só no Natal
Roupa era só um acessório não uma identidade
Colecionávamos álbuns de figurinhas
Tínhamos caderno de recordação
As pessoas se mediam menos
E olhavam-se mais nos olhos
As vizinhas eram amigas
Se podia comprar fiado
Os pais tinham mais tempo para os filhos
Os irmãos para os irmãos
Passávamos as férias escolares na praia
Dava-se mais valor  ao que se tinha
As relações entre alunos e professores eram de respeito
Se brincava de casinha no quintal
A gente ria de coisas bobas
Não tinha que se preocupar com a violência urbana
As pessoas se conheciam e se ajudavam
Existia um senso de comunidade
Havia mais verde ao redor
Menos carros
Menos poluição
Os empregos eram mais estáveis
A gente comia pastel de feira e não se preocupava com o colesterol
Não havia manipulação genética dos alimentos
Se fazia horta no fundo do quintal
As amizades eram mais duradouras e sinceras
As pessoas se elogiavam mais
 
Bons e velhos tempos...
 
-Simone-