Total Pageviews

A FLÔR NO CAMINHO E A CALÇADA...



Havia uma flôr no caminho
Que vivia ao longo de uma calçada esquecida e empoeirada
A solidão sentida era a de ser única
Para crescer esgueirou-se por entre uma rachadura
Tinha o propósito de ser bonita e valente
 
A calçada gostou da decoração da flôr
Sentiu-se valorizada pela primeira vez na própria vida
Estava cansada de ser pisoteada todos os dias
Agora pelo menos não mais passantes
Só a flor e a poeira
 
A flôr e a calçada tornaram-se amigas
Companheiras inseparáveis
Tinham longas conversas
Nas tardes quentes de verão
Na aspereza das noites de inverno
Uma consolava a outra
A dureza da calçada protegia a flôr
E a flôr fazia serenatas para distrair a calçada que tremia de frio
 
No dia em que a flôr deu o seu derradeiro suspiro de vida
A calçada sentiu um vazio profundo
Sua melhor amiga havia partido
Mas, de presente, manteve o próprio perfume eterno
Para a calçada continuar sentindo a presença dela
E nunca achar que havia sido esquecida
Pela flôr que ela havia abrigado numa de suas rachaduras
Tão confortavelmente...
 
-Simone- 
 
 


No comments: